No dia 29 de agosto de 2014 eu,  juntamente com agentes de viagens de Aracaju, convidados pela Turise operadora e Gol Linhas Aéreas embarcamos rumo à Buenos Aires  – Argentina.

As primeiras impressões de uma viagem ocorrem justamente nos primeiros momentos de embarque, onde analisamos  a qualidade dos serviços prestados pela empresa aérea GOL. Os voos saíram no horário, sem atrasos. No momento de despachar as bagagens, atendimento eficiente e cordial dos agentes aeroportuários.

Senti um pouco de desorganização no retorno de Guarulhos / Aracaju, no  desencontro de informações da cia, no que diz respeito ao número do voo exibido no cartão de embarque e mostrados no display do aeroporto. Havia uma divergência dessas informações, o que para passageiros mais desatentos pode ocasionar na perda do voo.
Muito me incomoda ou me gera estranheza o novo formato de “ low cost, low fare” ou “ custo baixo, preço baixo “  que as cias aéreas brasileiras estão se enquadrando para atender um formato de comercialização  internacional, o qual é bastante deselegante e que, com certeza, não caiu no gosto do povo.

Você pedir um suco, um café e ser cobrado na aeronave para mim é o fim. Paguei R$ 5,00 para poder tomar um café expresso. Sem falar na dificuldade que eles têm em passar troco.

Desembarcando no Aeroporto Internacional de Guarulhos – SP,  os amantes por compras, principalmente as mulheres,  foram diretamente ao free shop.  Analisando os preços dos produtos, confesso que fiquei decepcionado. Por se tratar de uma aérea “ teoricamente “ livre de impostos, esperava achar preços similares aos que encontra-se nos Estados Unidos por exemplo. Uma camisa oficial da seleção brasileira por exemplo, estava sendo vendida por 90 dólares ( aproximadamente R$ 220,00 ) ou seja, nada diferente do que já temos nos shoppings centers da nossa cidade.

Chegando em Buenos Aires, por volta das 13:00 no aeroporto  Aeroparque, o qual está há aproximadamente 20 minutos de carro do centro ( em dias de pouco congestionamento ), enquanto o Ezeiza que fica mais afastado do cento ( em média 40 minutos de carro ), fomos recepcionados pela Caltour Receptive , empresa de turismo receptivo de Buenos Aires.  Nossa guia foi a Nathalia, funcionária da empresa há 10 anos.  No percurso do aeroporto ao hotel , recebemos uma verdadeira aula de sobrevivência em Buenos Aires.

A guia fala muito bem o nosso idioma, além de extremamente simpática e atenciosa.
Entre as preciosas dicas da guia, ela recomendou que o turista utilize notas pequenas para compras pequenas na rua, pois quando você paga em notas grandes como 50 ou 100, existem muitos caloteiros que, com um verdadeiro truque de ilusionismo,  trocam sua nota verdadeira por um falsa deles.

O ideal é que suas notas grandes sejam marcadas com uma marquinha de caneta no canto da moeda para assim, você ter argumentos de que aquela nota falsa não é sua. Evite a utilização de reais ou dólares para pagamentos em Buenos Aires, pois pagando nessas moedas o comerciante te passa o troco no câmbio que ele tiver na cabeça e você acabará perdendo dinheiro. Também foi dada uma ênfase para a violência na cidade.

Há alguns anos, Buenos Aires era uma cidade com índices baixos de violência. Hoje, com a ascensão da indústria e hotelaria, Buenos Aires está crescendo e, consequentemente, se tornando mais violenta. Segundo a guia Nathalia, Buenos aires não está muito longe do Brasil nessas estatísticas. Portando, recomenda-se muito cuidado e atenção com seus pertences ao trafegar pela cidade. Nada de bolsa nas costas, nada de andar com documentos originais, nada de andar com muito dinheiro, nada de ostentar em público. Falando em documentos, procure deixa-los sempre no hotel, de preferência no cofre. A perda de um documento para embarque gerará muitas dores de cabeça e perde de atividades turísticas na cidade.

Imperdível em Buenos Aires:

Tango Porteño

Tango-Porteno2-696x696 Tango-Porteno

Sem dúvida, um dos grandes momentos que pude viver na viagem e na minha vida foi assistir ao Tango Porteño,  localizado na Avenida 9 de Julho. O pacote para o show de tango incluiu transfer de chegada e saída,  bebidas à vontade, uma entrada, prato principal e sobremesa. Com certeza, vale cada centavo. O show é de arrepiar. Assim como você não se sente em Paris até ver a Torre Eiffel, não dá para se sentir em Buenos Aires até assistir um bom espetáculo de tango. Toda sedução aliada à arte e a tradição argentina. Não dá para ir à Buenos Aires sem conhecer o Tango Porteño.

Caminito

Caminito-990x420

Eu diria que o Caminito é como se fosse o “Pelourinho em Buenos Aires”. Artistas de rua, bares, lojinhas de souvenirs com preços bastante acessíveis. Pude notar um efetivo de policiais nas esquinas, o que nos dá uma sensação de segurança. Trata-se de um bairro pobre porém com bastante preservação da cultura e origens argentinas. Lá também encontramos o estádio La Boca, do principal clube de futebol argentino o Boca Juniors. No estádio, do lado de fora, tem loja oficial da Nike vendendo produtos originais do time. É possível entrar no estádio para tirar foto, pagando 70 pesos.  A visita ao Caminito normalmente está incluído na compra de citytur, o qual eu recomendo sem dúvidas, principalmente para os turistas de primeira viagem na capital argentina.

Feira de San Telmo

San-Telmo-886x420

Aos domingos, no horário das 10:00 às 17:00 você pode visitar a imensa e variada feira de San Telmo. Esse é o momento perfeito para você comprar as famosas lembrancinhas para a família e amigos. A variedade parece infinita, artista de rua por todos os lados, preços acessíveis e negociáveis, assim como em toda feira. Por se tratar de um lugar com multidão, vale o cuidado com os batedores de carteira. Fique muito atento, pois pude presenciar um senhor tenho o celular levado.

Cassino de Puerto Madero

Cassino-Puerto-Madero-2011-1068x637

Gosto muito de dormir, mas em Buenos Aires foi o que menos fiz. Quando viajo gosto de estar acordado ao máximo para desfrutar do que há de melhor na cidade. Para os amantes de uma fezinha, ou para os curiosos como eu, vale a pena uma visita ao Cassino de Puerto Madero, o qual está situado em um grande navio atracado no porto. A experiência foi bastante válida, apesar de eu não gostar de jogos de azar. Você não paga nada para entrar, apenas o que consumir ou jogar. É possível fazer apostas nas máquinas ou nas roletas. Você poderá tentar a sorte com 2 pesos argentinos até todo o dinheiro que você tiver no bolso. Valeu a pena conhecer.

Vida noturna:

Para quem gosta de viver a noite, em Buenos Aires não há o que reclamar. Principalmente nos bairros de Palermo e Recoleta, você encontrará boates e barzinhos por todos os cantos. A vida noturna começa às 02:00am. Conheci a boate Rose Bar, altíssimo padrão, com entrada a 150 pesos. Valeu cada centavo.

 Onde comer:

Ótimos lugres para comer, além de baratos em Buenos Aires é o que não falta. Para os mais desconfiados ou conservadores existe MC Donald’s em cada esquina ( não estou exagerando ), e na mesma proporção podemos ver o Starbucks . Porém, prefiro apreciar a culinária local, bastante rica em carnes. Nos bairros de Puerto Madero e Recoleta, há uma concentração de ótimos restaurantes, sendo que em Puerto Madero pude notar uma maior sofisticação e preços mais altos, mas nada alarmante. Em Puerto Madero pude visitar as churrascarias La Bisteca e Siga La Vaga. Rodízio com direito a uma jarra de refrigerante ou suco por 120 pesos. Vale a pena.

Quanto gastar por dia:

Uma das coisas que considerei super legais, e que foi pra mim sem dúvidas uma mão na roda, foi o fato da guia Nathalia da Caltour, a qual nos recebeu no aeroporto, providenciar para o nosso grupo a troca de moedas no hotel. No câmbio oficial você trocaria  R$ 1,00 por 3,70 pesos. Mas a nossa guia abençoada nos conseguiu no câmbio paralelo, bem mais em conta. Conseguimos com ela trocar R$ 1,00 por 5 pesos! Fiquei muito feliz e seguro, uma vez que a conversão foi feita por uma pessoa de confiança, sem riscos de notas falsas ou fraudes.
Mas sobre quanto gastar por dia, eu recomendo que, para despesas básicas como alimentação e transporte uma média de R$ 100,00 por dia ( 500 pesos no câmbio paralelo ). Para mim, funcionou divinamente. Comi e bebi muito bem, andei de taxi, andei de metrô sem nenhum aperto. Buenos Aires para as necessidades básicas, apesar da inflação de 40%, ainda é muito barato comparado aos absurdos do Brasil. Não senti grandes vantagens para compra de vestuário e eletrônicos.

Onde se hospedar:

Eu diria que essa questão de onde se hospedar seja bastante relativa ao perfil do turista. Primeiro que em Buenos Aires não há nada muito longe, taxi é muito barato. Então, essa questão de querer ficar no centro para economizar no taxi não é válida. Se você quer ficar mais próximo da agitação diária, compras , gosta de movimentação de pessoas etc., fique nas imediações da avenida 9 julho, Callao, próximo do Congresso. Local extremamente bem servido de restaurantes, compras , barzinhos e lanchonetes ( à noite o centro é tomado por pedintes e ambulantes, algo típico dessa região assim como em qualquer lugar do mundo ). Para famílias, com crianças e idosos, ou até mesmo casais que querem ficar longe da agitação, que quer mais áreas verdes com praças para caminhar pela manhã, aliado a bons restaurantes , bares e shoppings, eu recomendo os bairros da Recoleta, Puerto Madero e Palermo. São áreas nobres de Buenos Aires. Em Puerto Madero temos o metro quadrado mais caro da Argentina.

 Pegar táxi

Taxi-em-Buenos-Aires-275x160

Conforme expliquei, taxi em Buenos Aires é bem barato, mas uma das primeiras dicas que recebemos na chegada com nossa guia, foi sobre que tipo de táxi pegar. Os táxis em Buenos Aires são identificados pelas cores preta e amarela. Os  recomendados por quem conhece bem a cidade são os rádio táxis, os quais se diferenciam dos demais por esse display em sua parte superior. Segundo a guia, as chances de você  “levar uma volta “ são muito menores. Eu só pegava o rádio taxi e, graças a Deus não fui lesado por nenhum deles.

Hotéis que visitei e recomendo:

Tive a oportunidade de visitar alguns hotéis em Buenos Aires, dos quais recomendo apenas os citados abaixo, ( deixo claro que visitei alguns e não todos ). A cidade possui um grande número de hotéis mas muitos deles há anos não passa por uma reforma, apesar de serem bem localizados. Isso porque, do ano 2000 para cá, a indústria hoteleira vem sendo renovada, com a construção de novos hotéis de rede como Novotel e Ibis. Muitos hotéis tradicionais da cidade não conseguiram acompanhar esse crescimento na indústria, não possuem capital para uma reforma geral e, provavelmente, tão cedo não receberiam o retorno de tamanho investimento que envolve altos custos e paralização de suas atividades para tais mudanças. Seguem abaixo alguns hotéis que eu recomendaria para meus clientes, de acordo com cada perfil:

Apart Hotel & Spa Congresso  – Bartolome Mitre, 1824, Balvanera

Fiquei hospedado neste hotel.  Ele não possui glamour, mas é muito bem localizado, tem restaurante e Starbucks do lado, atravessou a tem uma pizzaria, há 3 quadras da 9 julho, quartos com aparência de novos, sem carpete, limpeza ocorre com frequência e café da manhã agradável. Não recomendo para lua de mel por se tratar de um hotel com perfil executivo, mas sem dúvidas um ótimo custo benefício.

Savoy – Av. Callao, 181, C1022AAB Buenos Aires, Argentina

Um dos hotéis mais lindos que vi em Buenos Aires. Hotel clássico sem ser velho, totalmente renovado, há poucos metros da 9 de julho e próximo ao congresso nacional. Hotel favorito dos deputados, senadores e autoridades da argentina, justamente por estar na mesma avenida do congresso ( Av Callao ). Ideal para clientes exigentes, que prezam o glamour e qualidade. Ideal também para casais em lua de mel.

 725 Continental – Av. Pte. Roque Saenz Peña, 725, Microcentro

 O 725 continental, hotel cujo seu “nome” é baseado no seu endereço, é aquele hotel que você indica sem medo de algo dar errado. Hotel limpo, novo, perfeito. Cozinha impecável, quartos maravilhosos, muita organização , ideal para os clientes mais exigentes e que prezam a praticidade de um hotel ótimo com boa localização, há 150 metros da Florida.

Novotel Buenos Aires  – 9 de julho
Sem dúvidas, um hotel que eu ficaria. Moderno, limpo, internet wifi grátis, na 9 de julho e há poucos metros do Obelisco. Me encantei muito com o Novotel, que assim como o nome, é realmente NOVO.

Caesar Park Buenos Aires – Recoleta
Partindo para Recoleta, se você está disposto em investir seu lazer em um hotel dos sonhos, com ótima localização, em frente à um shopping de marcas exclusivas, pode ir sem medo para o Caesar Park da Recoleta. Ideal para clientes exigentes, autoridades e celebridades. Um ótimo hotel também para lua de mel.

Buenos Aires Grand Hotel – Recoleta
Não é um hotel grande mas com certeza é um grande hotel. Além da da ótima localização da Recoleta, muito bem servida de shopping, bares e restaurantes, além de vida noturna agitada, o hotel é super  novo, limpo, moderno e agradável. Recomendo para famílias e casais em lua de mel.

Considerações finais:

Depois de desbravar a grande metrópole argentina, pude perceber porque os brasileiros tanto amam essa cidade. Repleta de cultura, culinárias, pessoas e vida noturna. Cidade que não dorme, onde a “noitada “ começa às 2:00 da manhã,  boa para caminhar, preços sempre muito acessíveis para os brasileiros e o amor, o orgulho que os argentinos têm do seu país me fez refletir o quanto temos que amadurecer e levar à sério a nossa pátria.  Cidade com jeito Europeu em plena américa do sul, com toda essência do tango e toda a paixão pelo futebol. Enfim, visitar e viver Buenos Aires , nosso vizinhos e Hermanos, é uma experiência que todo brasileiro, com certeza, deveria viver um dia. Já sinto saudades.

Agradecimentos:

Priscilla Ferrari e equipe da Turise Operadora, Bruno Lyra da Gol Linhas Aéreas, assim como todos os agentes de viagens que tornaram essa viagem ainda mais incrível.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui