Por que é que você é um agente de viagens?

999
Bruno Talevi - CEO Jooce Box
Publicidade

Ao longo da vida, acabamos por seguir alguns caminhos de forma meio que automática, guiados pelas circunstâncias.

Em algum lugar no passado, por alguma razão, você se tornou um agente de viagens.

Apesar de o dia ser dividido entre oito horas de trabalho, oito horas de lazer e oito horas de sono, a verdade é que o trabalho nos consome muito mais tempo do que isso.

Pensamos sobre o nosso trabalho enquanto estamos no chuveiro, nos preocupamos com tarefas pendentes aos finais de semana e ao dormir refletimos sobre o dia que passou e sobre os desafios do dia seguinte.

No final das contas, nossos trabalhos tomam a maior parte das nossas vidas.

Durante muito tempo, tentamos separar as nossas vidas pessoais da profissional. Por sorte, hoje, estamos mais conscientes da nossa total incapacidade de separá-las.

É realmente um absurdo acreditar que pessoas infelizes em suas profissões tenham a habilidade de se converter em pessoas felizes ao bater o cartão na saída.

Você pode até comemorar com um entusiasmo acima da média a hora de ir embora, o que apenas evidencia a sua frustração.

Seja você um agente de viagens realizado, ou um agente infeliz no trabalho, você com certeza entende o que estou falando.

Isto não é motivo o suficiente para refletir? Afinal, a vida já é curta demais para que ainda a tornemos pequena, é a sua felicidade que está em jogo.

Não é difícil distinguir o brilho nos olhos daquele que escolheu ser um agente de viagens do olhar perdido daquele que nem sabe porque é que está nessa.

Este brilho nos olhos tende a se intensificar com o tempo, movido por um ciclo virtuoso do amor pelo que faz, o que gera bons resultados, traz reconhecimento, cria satisfação e aumenta ainda mais o amor pela profissão.

Já o olhar perdido costuma caminhar na direção oposta, uma vez que ele é movido por um triste ciclo de insatisfação pelo que faz, o que gera maus resultados, traz falta de reconhecimento, cria frustração e aumenta ainda mais a insatisfação.

Uma grande parcela de responsabilidade pela felicidade das pessoas, está relacionado a fazer aquilo o que lhes traz prazer. Por sua vez, encontrar prazer no que faz depende completamente do propósito que estas pessoas enxergam em suas atividades, em suas vidas.

Se você perguntar ao agente de viagens com brilho nos olhos o que é que ele faz, ele certamente lhe dirá que ele é a ferramenta para que as pessoas vivam os melhores momentos de suas vidas, este é o seu propósito.

Já se você fizer a mesma pergunta ao agente de olhar perdido, certamente ele dirá que emite passagens aéreas e faz reservas em hotéis.

Você percebe a sutil diferença? O agente com brilhos nos olhos tem propósito, entende a importância de o que faz e isso lhe motiva e dá prazer, enquanto o agente de olhar perdido apenas realiza tarefas banais, o que transforma a sua vida profissional em uma rotina maçante, repleta de repetidos atos sem sentido.

Como espécie humana, precisamos de propósito para sermos felizes.

Pessoas com propósitos sorriem mais, dormem melhor, tem mais amigos e geram resultados superiores em suas carreiras.

Pessoas sem propósitos estão sempre tensas, com a cara amarrada, repelem as pessoas ao seu redor e em algum momento irão fracassar.

Pela diferença que isso faz em sua vida, é importante refletir o que é que ser um agente de viagens representa para você.

Escolher ser um agente de viagens não é o simples ato de optar por esta profissão, é o ato de enxergar nela o seu propósito, ainda que a profissão o tenha escolhido por acidente.

Sem propósito, apesar de a sua carteira de trabalho dizer o contrário, você não é um agente de viagens.

Para os mais pragmáticos, não tenha dúvidas de que os resultados financeiros da sua agência de viagens estão diretamente relacionados ao nível de propósito que a sua equipe possui.

Na verdade, este fator faz tanta diferença para os resultados quanto qualquer treinamento ou estratégia de negócios pode fazer.

Eu não sei quanto a você, mas eu acredito que existam motivos bons o suficiente para que você se pergunte: por que é que eu sou agente de viagens?

Encontre o seu propósito!

Precisando de inspiração? Este vídeo pode mudar a forma como você se enxerga no mundo (ative as legendas).

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Compartilhar
Bruno Talevi
Graduado em Marketing e Propaganda, atuou como gestor na maior operadora do país e agora (de volta ao turismo) vive a sua segunda aventura tech-empreendedora cuja missão é transformar o agente de viagens na melhor opção para o turista moderno. No Agentes de Viagens.com pretende compartilhar a sua visão sobre temas como relacionamento com o cliente, gestão comercial, consultoria e marketing digital.